Será que o treinamento virtual acabará com os treinamentos presenciais?

O advento da internet mudou a vida das pessoas, ultrapassou a barreira das gerações e levou informação aos quatro cantos do mundo.

A tecnologia evolui de tal forma que podemos assistir, participar e interagir com pessoas de todo o planeta, basta ter uma boa internet e “Shazan” já estamos lá, em qualquer lugar!

E bem verdade que o e-learning chegou tímido e agora se tornou um febre incurável e olha que ainda nem atingiu a temperatura máxima, a ponto de convulsionar as massas. Tem gente por aí que ainda vê com resistência a modalidade de ensino à distância.

A questão aqui é: Será que o treinamento virtual substituirá o treinamento presencial?

E aí vai minha humilde resposta!

-Depende! Como assim depende? Eu acredito que a tecnologia fez um bem danado para a nação, mas por outro lado criou uma ruptura no processo de integração social. Precisamos de mais presença, de contato, de calor humano, de sentir e obter novas sensações e tais feitos ocorrem quando o nosso cérebro aproveita as experiências com os cinco sentidos.

Será que on line, mesmo com toda a tecnologia virtual, experienciaremos a vida aproveitando o máximo de nosso potencial? Esta é uma pergunta que deixo para vocês!

E vamos para o tal do “depende”, existem empresas que acreditam que os treinamentos virtuais, os famosos e-learnings solucionarão o problema da falta de tempo dos colaboradores e que por serem acessíveis trarão uma adesão maior e levarão conhecimento de uma forma jamais vista.

Outras instituições acreditam que a população organizacional precisa estar junta, de corpo e alma para criar vínculos emocionais, fortalecer a cultura, criar insights, romper barreiras, solucionar problemas reais de relacionamento e experienciar o aqui e agora.

E existem aquelas que acreditam em projetos mistos! Eu acredito que podemos unir as duas plataformas, mas jamais excluir aquilo que nos torna tão especiais, nosso calor humano!

Este é um assunto em alta nas rodinhas de RH e que veio para ficar! Aguardo ansiosa cenas dos próximos capítulos!

Até breve!

Vanessa Aleixo

Diretora de Desenvolvimento da RHPLAY Consultoria e Treinamento

Oh Dúvida Cruel!

Não há nada pior do que ficar na indecisão! Parece música de desiludido, o que será, o que será?…

A dúvida aparece pelo medo de tomarmos alguma decisão, pelo medo de termos que arcar com as consequências das escolhas que fazemos. Parece ser saudável ficarmos quietos, calados diante de um acontecimento, mas até o ato de ficar calado é uma escolha, e toda escolha tem um retorno, seja ele positivo ou negativo.

Sabe eu vivo dizendo por aí, “Seja quente, ou seja frio, mas nunca seja morno”, e que fique registrado que isto é uma adaptação da bíblia! Ficar em cima do muro, esperando a banda passar é escolher ficar no marasmo, é escolher retrocesso e este seria o verdadeiro fracasso.

Se a dúvida é cruel, não se desespere, sempre existe mais que dois caminhos, as pessoas ficam paralisadas com a possibilidade de só haver duas saídas para tudo, ter um plano C não significa ser morno, significa que decidiu agir com as armas que tem!

Estes dias estava assistindo Bob Esponja com meu filho, um filme de mais ou menos uma hora e pouquinho, o Plankton é um personagem que tem como missão de vida, roubar a fórmula do hambúrguer de siri, mas sempre “fracassa”, pois bem, neste filme ele estava meio cabisbaixo, pois já havia tentado de tudo até o plano W, sendo sua última opção, quando inesperadamente o seu esperto computador falante o lembrou que o alfabeto ia até o Z.

Encurtando a história ele não conseguiu roubar a fórmula, mas foi um dos melhores planos que teve! O que estou tentando dizer é que temos muitas letras no alfabeto, ou seja, muitas opções, e porque não termo um plano Z, ou alfa e beta? Quem determina os limites é o próprio limitador!

Na dúvida diga simmmm! Sim para mais opções e não para a indiferença! Quem é indiferente passa pela vida sem nenhum grande feito, e esta frase pronta caiu como uma luva, “feito é melhor que perfeito”!

Faço um convite para você, sabe aquele problema que está te dando taquicardia, senta numa mesa e atira suas ideias no papel com a melhor arma que tem, o cérebro amigo!

Se um personagem de desenho tem até plano Z, imagine você de carne e osso, com todo este potencial e massa cinzenta! Qual o problema em tentar?

Afinal, pior do que fracassar é ficar eternamente na dúvida!

Até a próxima!

Vanessa Aleixo – Sócia Diretora – RHPLAY